Homenagem de um pai para seu filho falecido

pai

Iria apenas compartilhar em nossa page sobre isso, mas eu preciso me expressar sobre essa história.

Mais uma vez os games estão mostrando pra que vieram. Grande homenagem desse pai.

Vamos ao que interessa. Um pai, após a morte de seu filho com câncer, decidiu fazer um game pra homenageá-lo e tentar passar uma mensagem aos jogadores. E na boa, que puta mensagem, eu nem joguei e não sabia o que sentir ao ler a matéria aqui.

Resuminho

Ryan Green é um programador que decidiu desenvolver um jogo chamado “That Dragon, Cancer“.
Você precisa conviver e cuidar de uma criança com câncer terminal cara, e não tem final feliz, ele vai morrer e você precisa lidar com isso. Joel é o personagem principal, e o Pai, fez o game para impedir o esquecimento do filho.


 

Cara, eu fiquei um tempo sem palavras, sem saber o que pensar, um pai que perde seu filho e arruma coragem de sei lá onde, pra criar um game onde SEU FILHO será cuidado por você e irá morrer, ele recriar todos momentos de dor, de tristeza, de aceitação. Imagina quantas vezes ele não parou de fazer o jogo e se perdeu em seus pensamentos?

Indo um pouco além, isso pode vir a dar lucro, a pessoa tem que estar muito bem com a própria mente pra aguentar o fato de que irá receber dinheiro a troco da morte do filho. Ok, não pensem que sou insensível, só estou pensando… Eu sei que é um trabalho e ele irá receber por isso (puts, piorei as coisas). Mas entenderam o que quis dizer? Isso pode ser uma âncora e salvá-lo, ajudá-lo a manter viva a memória do filho, ou até mesmo um crescimento pessoal, mas pode ser tornar uma tempestade em sua vida, irá repercutir, lembranças ferverão em sua cabeça, sua família, só consigo pensar que esse cara é muito foda, por ter essa força toda. Eu sem ter a menor relação com isso já tenho certeza que irei me emocionar ou suar pelos olhos, imagina os entes próximos.

E por outro lado, olha só, games mais uma vez servindo para ponto de escape e aprendizado.

Aguardando ansiosamente pelo game. Jogarei e espero muito que ele me faça sentir, pois é por isso que amo tanto os games, e não querendo usar a dor alheia como exemplo, mas ta bem escasso games, por mais simples que sejam, te fazem sentir, refletir, ou até mesmo, mudar como você vê a vida. Isso me trás de novo a um dos games mais fodas que já joguei, But That Was [Yesterday], que por mais simples que seja, tem uma carga emotiva muito grande, ainda maior pra quem já vivenciou o mesmo relatado no game, que também é baseado em uma experiência de vida.

Era só uma nota, que iria postar em meu Facebook, mas decidi publicar aqui. Puta homenagem, na moral.

Digam o que acham, se teriam peito pra encarar uma parada dessas.

Fonte: Virgula

Sobre o Autor

Outros posts de

Jhonny Silva

28 anos [É to ficando velho] , amante de caveiras e games indies, androidista, PCzista e só tenho 5mb de net, devido a morar em um ponto remoto do universo (recentes notícias afirmam que até na lua agora tem mais internet do que aqui em casa).