Na Vida Real – Com outros olhos

capa 2 na vida real

Existem quadrinhos que falam de jogos, que são de jogos e quadrinhos como “Na Vida Real”, que retratam uma vida em um jogo.

Na Vida Real é um quadrinho de Cory Doctorow (Roteiro) e Jean Wang (Arte) publicado no Brasil pela Editora Marsupial em novembro de 2015 e originalmente In Real Life (tradução de Flávia Gasi e Felipe Della Corte).

 

char

aaaah o momento mágico de criar seu char

 

Como alguns já sabem comecei a ler quadrinhos de uma forma mais séria e passei a consumir quase que na mesma quantidade de jogos no Steam, sendo o meu foco agregar uma nova experiência, um ponto de vista ou aprendizado. Sou fã de Sandman (há pouco tempo mas já tenho toda coleção em mãos) e aprendi que quadrinhos podem oferecer muito mais do que socos e frases de efeito citadas por pessoas com capas ou vigilantes, é minha opinião pessoal, não me xinguem.

Falando sobre o quadrinho, Na Vida Real trata-se de uma garota que é convidada para entrar no mundo dos jogos online e consequentemente cria amizades online.

E parando para pensar, muitas pessoas começaram suas amizades em uma Lan House, assim como eu com 13 anos quando pisei pela primeira vez naquele aquele ambiente lotado de estranhos gritando e dando gargalhadas. Comecei jogando Gunbound depois fui pro CS 1.6 e finalmente adentrei no universo dos MMOs RPGs como Lineage II jogando todos os dias com os amigos juntos, batalhando por algo, se ajudando, negociando com dinheiro real ou no game. E isso é engraçado, as amizades que fiz tanto na Lan house como no mundo online, em sua maioria, duram até hoje e olha que são vários anos pois tem gente que conheço a 4 e até a 14 anos.

Voltando para Na Vida Real, ela é uma Graphic Novel que traz fortes críticas ao preconceito que as meninas sofrem em jogos online que variam do medo de se mostrarem mulheres pelo simples motivos de existirem pessoas babacas o suficiente do outro lado que fazem o local de diversão se tornar algo ruim e perigoso em muitos casos como sempre vemos relatos das nossas companheiras de grupo.

 

meninas

Triste realidade

Anda, nossa personagem principal conhece pessoas como nós, amigos que jogam a muito tempo, que mesmo reclamando dos novatos fazem amizade com eles e os ensinam coisas boas ou não haha.

Sua mãe sempre preocupada com o fato dos games abrirem portas para pessoas com más intenções que é uma reação normal de todos pais e nós estamos acostumados com isso.

 

mãe

Mãe, relaxaí!

 

Esse material só não me fez me sentir mais dentro ainda pois passa-se na pele de uma garota e eu sendo homem posso ouvir e lutar pela liberdade delas nos games mas nunca saberei na pele como elas se sentem quando ficam com medo, sofrem ameaças e até são perseguidas por caras que ao invés de mantê-las por perto e confortá-las espantam e agem como babuínos no cio.

 

fone

Essa reação, uma das melhores

 

Nos encontros e desencontros, Anda, vem a conhecer um garoto chinês mostrando mais uma vez que games não impõe nenhuma barreira para quem deseja fazer algo podendo até mesmo mesmo nos ensina novas línguas. Algo importantíssimo nesse universo e que me faz me sentir bem idiota as vezes de não me esforçar o suficiente para me comunicar com todos, sem medo.

E somos jogados dentro de um problema seríssimo sobre o trabalho infantil (coisa bem comum em nosso mundinho, não deveria, mas é). Sim, é isso que você leu, trabalho infantil. Estamos sentados aqui jogando felizes mas em algum lugar existem crianças que só queriam ter isso também mas estão ocupadas demais trabalhando e adiando estudos por N motivos.

Ela conhece um garoto chinês com uma condição social bem crítica, e que pra mim é um dos ápices do quadrinho.
(Queria muito postar uma imagem sobre isso, que pra mim foi dos mais fells do quadrinho =/ mas vocês tem que vivenciar isso por conta própria).

detalle-en-la-vida-real-cory-doctorow-jen-wang-5

Sem contar a parte da autoestima da Anda que melhorar ao passar do tempo, chegando ao ponto de pintar seus cabelos igual da sua personagem. É muita coisa legal dentro de uma só história.

logando

Não é o material mais incrível que já li mas é o mais próximo do universo que conheci e isso faz com que ele seja uma das experiências mais direcionadas e incríveis que já tive lendo quadrinhos. Saber que nosso universo está se expandindo a tal ponto de surgirem histórias de jogadores em quadrinhos. Cara, e isso é FODA  (não sei outra palavra para descrever isso). (Descobri depois de escrever isso que existe uma Light Novel (romance ilustrado) Japonesa chamada Sword Art Online e se não me engano virou anime.)

Se o autor disso estiver lendo, queria agradecer por abordando temas e reflexões sobre e ainda conseguindo colocar tanta nostalgia sobre o tema.

Espero por indicações de conteúdo do gênero.

E Editora Marsupial, não conheço como é feita as escolhas de que obra publicar, pois pelo que vi de outras editoras nem sempre é só lucro mas algumas vezes creio que tenha uma pitadinha de vontade de publicar um trabalho que traga tamanha importância para a sociedade.  Tomara que tenha sido com essa pitada que este quadrinho foi lançado.

Obrigado aos responsáveis.

trabalho duro

BORA!!!


Para quem se interessou  o quadrinho pode ser encontrado na loja da Editora Marsupial: AQUI (comprei em uma promo de Carnaval, fiquem de olho, que acredito que ela sempre realiza algumas promoções)

E vocês? Gostam de ler algo? Tem alguma indicação a fazer?

Sobre o Autor

Outros posts de

Jhonny Silva

28 anos [É to ficando velho] , amante de caveiras e games indies, androidista, PCzista e só tenho 5mb de net, devido a morar em um ponto remoto do universo (recentes notícias afirmam que até na lua agora tem mais internet do que aqui em casa).